Adequação das instalações

As instalações, o processo e os fluxos devem ser organizados para propiciar ajustes necessários à ampliação da capacidade de suprimento de medicamentos e outros produtos para a saúde, potencializar a atuação em atividades clínicas direcionadas à resposta ao vírus, bem como minimizar a possibilidade de contaminação ambiental, ocupacional e dos usuários da Farmácia.

O grau de recomendações de proteção depende do nível de evolução da epidemia. Neste documento, optou-se por apresentar as orientações para aquelas cidades que estão em transmissão comunitária, a fim de propiciar maior tempo para o ajuste às recomendações no pior cenário de exposição. As medidas gerais estratificadas podem ser acessadas em (MS, BOLETIM 05, 14/03/2020)

Tendo em vista que os países que já viveram o pico da transmissão da doença mantiveram as farmácias de portas abertas, buscou-se informação sobre as medidas adotadas para serem compartilhadas com os farmacêuticos brasileiros.

Medidas para evitar aglomeração

• Demarcar no chão, com fita de alta adesão, o espaçamento de 2 metros para filas de pacientes sem máscara ou 1 metro para aqueles com máscara (Figura 2);

• Deixar frasco de álcool 70 disponível na entrada da farmácia para a utilização pelos pacientes; • Doar máscara aos pacientes sintomáticos na entrada da farmácia;

• Distribuir senhas de atendimento e permitir a entrada, ao mesmo tempo, de no máximo 3 pessoas no interior da farmácia;

• Divulgar o serviço de tele-entrega e realizar atendimento remoto para orientar adequadamente os pacientes;

• Demarcar espaço no passeio externo da farmácia para a organização da fila;

• Criar barreira física de entrada na farmácia, como as utilizadas durante atendimentos noturnos.

Medidas que reduzem o contato com materiais potencialmente contaminados

• Paramentação de todos os funcionários em atendimento com gorro, luva, máscara, óculos de proteção e jaleco (inserir link paramentação)

• Fluxo isolado para casos confirmados, casos prováveis e casos suspeitos e seus contactantes domiciliares daqueles usuários assintomáticos;

• Ambiente isolado para a coleta de material de testagem rápida e para o atendimento. Sala com porta ou tenda na porta das farmácias (aguardando posição governamental);

• Instruções de descarte adequado e identificação de lixeira específica para lenços e outros descartáveis potencialmente contaminados por usuários durante o atendimento;

• Intensificar rotina de limpeza e desinfecção do estabelecimento (inserir link de protocolo de desinfecção);

• Disponibilizar uma bandeja que permita desinfecção para que sejam colocadas as receitas dos pacientes e depois para a retirada dos medicamentos, evitando-se contato entre as mãos. Neste caso, deve ocorrer a desinfecção por técnica efetiva.