Boletim destaca ações contra a desinformação na pandemia

A desinformação, as fake news e o estímulo à automedicação foram grandes desafios enfrentados no Brasil durante a pandemia da Covid-19. Para superar esse problema, a Rede Brasileira de Centros e Serviços de Informação sobre Medicamentos (REBRACIM) buscou implantar ações para ajudar a população a ter acesso à informação de qualidade. Algumas dessas iniciativas estão no recém-lançado boletim informativo da rede.

Como explica a farmacêutica Pâmela Saavedra, do Centro de Informação sobre Medicamentos do Conselho Federal de Farmácia (CFF), a chamada infodemia atingiu especialmente pessoas mais vulneráveis, a exemplo de pessoas da terceira idade que necessitam de atenção especial. “Esse grupo tem peculiaridades e necessidades de informação específicas. Por isso, requer um olhar diferente e que as informações sejam apresentadas de maneira criativa. Como, por exemplo, as atividades apresentadas pela Universidade Aberta à Maturidade (UAMA), que realizou diversas rodas de conversas e, assim, conseguiu levar informação útil e adequada a eles”, destaca Pâmela.

Dando continuidade ao tema Educação em Saúde, a segunda edição do boletim traz também a experiência da realização de oficinas para cuidadores de idosos com temáticas voltadas à atenção, ao cuidado e a plantas medicinais. Destaque ainda para trabalhos com outros públicos atingidos pela falta de informação. “O boletim traz a perspectiva de públicos marginalizados do acesso à informação, como os portadores de deficiência, que dependem da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para se comunicar. Nesse contexto, os centros também promoveram a acessibilidade dessa linguagem, contribuindo com o desenvolvimento de informação e linguagem visual voltada para a comunidade surda”, salienta a farmacêutica Pâmela Saavedra.

O boletim é uma publicação independente. Além de divulgar as ações e atividades dos centros, busca também facilitar o intercâmbio de ideias e informação sobre o uso racional e responsável de medicamentos. A meta é aumentar o conhecimento sobre o assunto e discutir problemas e soluções sobre saúde. Clique aqui e acesse o conteúdo.

Ouça a matéria na Rádio News Farma.