Conheça os efeitos adversos da colchicina e da nitazoxanida

Pesquisa do Conselho Federal de Farmácia (CFF), em parceria com a consultoria IQVIA, revelou queda de até 61% na venda de alguns dos medicamentos do chamado ‘kit covid’, considerando o período de novembro de 2021 a janeiro de 2022 na comparação com anos anteriores. Apesar de leve queda, itens como a colchicina e a nitazoxanida ainda apresentaram crescimento de vendas nas farmácias de 8% e 5%, respectivamente.

Na avaliação do consultor do CFF, o farmacêutico Welington Barros, a redução da compra desses itens está relacionada aos bons resultados da vacinação, que reduziu o contágio e o número de mortes. Mesmo assim, é preciso reforçar que a tendência de queda está sendo registrada sobre um volume de vendas sem precedentes. O que reforça a importância do alerta quanto ao uso indiscriminado desses produtos, muitas vezes sem orientação, devido aos efeitos colaterais. “A colchicina é um anti-inflamatório de uso consagrado para o tratamento das crises de gota. Cerca de 10% dos pacientes que estão no início do tratamento com colchicina apresentam diarreia. Há um risco mais grave relacionado à dosagem excessiva, que pode trazer sérias complicações cardíacas. Portanto, a colchicina deve ser usada com cautela em pacientes com insuficiência renal e hepática”, declara Wellington.

O farmacêutico reforça que o medicamento não pode ser utilizado sem a supervisão médica. Wellington Barros também relata os possíveis efeitos adversos da nitazoxanida, que geralmente é indicada para tratamento de gastrointerites virais e doenças parasitárias. “Apesar de ter sido avaliada em alguns estudos como alternativa terapêutica contra a Covid-19, esse medicamento apresenta algumas contraindicações e os seus riscos não podem ser desconsiderados. Apesar de raras, as manifestações cardíacas, como taquicardia e possível elevação de pressão arterial, sugere o uso com precaução em pacientes que têm hipertensão arterial não controlada”, frisa.

No final de 2021 e início deste ano, o acréscimo nas vendas de colchicina ficou acima da média nacional nos estados de Piauí, Rio Grande do Sul, Maranhão e Goiás. No caso da nitazoxanida foram campeões de vendas nos estados d Roraima, Piauí, Rondônia e Tocantins. Mas há tendência de queda. Na comparação do mesmo período em 2020 e 2021 as vendas de colchicina sofreram variação de 11% para 8% e de 16% para 5% no caso da nitazoxanida.