MS fará parceria com farmácias para combater gripe e coronavírus

0
0

O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, em pronunciamento no dia de hoje, anunciou a intenção do Ministério da Saúde de firmar parceria no sentido de que as farmácias possam ser pontos de atenção à saúde não só para aplicação da vacina contra a gripe, mas também para a orientação quanto ao uso de medicamentos indicados no tratamento de sintomas da COVID-19 e para a coleta e testagem de material.

O ministro destacou a importância estratégica das farmácias neste momento em que o Brasil, assim como os demais países, se mobiliza para conter a pandemia da doença causada pelo novo coronavírus. Como bem lembrou o ministro, as farmácias são estabelecimentos de saúde que, obrigatoriamente por lei, contam com o farmacêutico presente.

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) foi citado nominalmente, no sentido de intermediar essa parceria. Não por acaso! Sistematicamente o conselho tem defendido, no Ministério da Saúde, que farmacêuticos e farmácias são grandes aliadas da rede pública na promoção da saúde e na prevenção de doenças.

Como entidade responsável pela regulamentação das atribuições clínicas, que impulsionou a prática clínica dentro desses estabelecimentos; e como protagonista do movimento pela aprovação da Lei nº 13.021/14, que reclassificou as farmácias como estabelecimentos de saúde autorizados a dispor de vacinas para atendimento imediato à população, o CFF orgulha-se de dizer que, hoje, os farmacêuticos e as farmácias têm o respaldo legal e regulamentar para atender a esse chamado. E tem a certeza que muitos farmacêuticos e muitas farmácias se apresentarão, porque as palavras do ministro encontram ressonância com o trabalho realizado nos últimos anos pelo conselho para resgatar o papel do farmacêutico como profissional do cuidado à saúde dos indivíduos, das famílias e da comunidade.

Aos profissionais que já estão colaborando para o enfrentamento da pandemia, e aos que, agora, deverão se apresentar para contribuir, o conselho manifesta o seu reconhecimento, bem como reforça que se mantém atento e lado a lado com a categoria, procurando respaldá-la tanto do ponto de vista regulamentar, como técnico.

O CFF elaborou um Plano de Resposta para as Farmácias Privadas e Públicas da Atenção Primária que, será atualizado constantemente, e espera contar com o apoio da categoria neste processo. A VERSÃO 01, composta de quatro volumes (que seguem abaixo), foi publicada hoje no site do conselho, onde também está disponível para download

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui