População de Caruaru é contemplada pelo Programa Remédio na Porta

0
0

Para obter os medicamentos de uso contínuo, mais de 12.000 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) na Capital do Forró foram cadastrados para receber em domicílio. Em abril deste ano, durante a crescente expansão da infecção humana pelo Sars-Cov-2, o serviço do ‘Programa Remédio na Porta’ foi implantado pela gestão do município de Caruaru, no agreste de Pernambuco. Inicialmente, existia um projeto piloto em que quatro áreas da zona rural eram contempladas, entretanto, vislumbrando garantir a proteção e preservação à saúde da população mais vulnerável (idosos, acamados e pessoas com comorbidades associadas) às complicações ocasionadas pela COVID-19, a estratégia foi implantada buscando combater e contingenciar a doença.

Desde o início da prestação do serviço, a ideia central é ampliar o acesso aos medicamentos, otimizar o gerenciamento de recursos da Assistência Farmacêutica, promover a integração da rede de saúde, melhorar a qualidade de vida de usuários de medicamentos de uso contínuo, humanizar a assistência e o cuidado farmacêutico, entre outros aspectos. “Em média, nos últimos 7 meses dispensamos mensalmente mais de um milhão (1.000.000) de unidades de medicamentos. A caminhada é longa! Acreditamos que este modelo de assistência seja um avanço no âmbito da promoção ao cuidado integral e observamos que ações inovadoras, planejadas e com objetivo definido se traduzem em bons resultados a médio e longo prazo, gerando uma valorização da gestão pública e do SUS”, explica o farmacêutico Jean Batista de Sá, mestre pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Gerente da Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal da Saúde de Caruaru.

As visitas e dispensação de medicamentos ficam sob a coordenação da farmacêutica Dra. Thaís Ribeiro. O atendimento segue um cronograma, sendo realizado por meio dos veículos da gestão municipal, os quais vão ao domicílio dos usuários cadastrados para efetuar a entrega, com o propósito de manter o paciente em casa e também evitar aglomerações nas farmácias, com foco na humanização do atendimento e na realidade do usuário. “A integração com a Atenção Primária de Saúde é de vital importância, pois é a essência do “Programa Remédio na Porta”, que se inicia com a equipe da Unidade Básica de Saúde identificando e avaliando cada paciente quanto ao atendimento aos critérios do programa, realizando o cadastro com todos os documentos envolvidos e encaminhando para a equipe da Farmácia realizar todas as etapas necessárias para a dispensação do medicamento”, afirma.

Usuários que antes não utilizavam as farmácias municipais para adquirir medicamentos, agora recebem em domicílio. Mesmo assim, ainda há expectativa da adesão de mais usuários e, consequentemente, do maior alcance do serviço. “Como sabemos, na atual conjuntura, a Farmácia vive um momento de disrupção, dessa forma, o “Programa Remédio na Porta” foi se organizando por fases e com flexibilidade. Inicialmente o objetivo era evitar os usuários saírem de casa, então toda a energia foi voltada em estruturar o programa para entregar o medicamento e dispensar nas situações especiais. Todavia, estamos evoluindo para o acolhimento e monitoramento, onde estamos começando a orientação farmacêutica em domicílio para grupos específicos de usuários, como por exemplo, a incorporação das canetas de Insulina, que estamos conseguindo de forma integrada com os acadêmicos e residentes de Farmácia, uma vez que um dos grandes desafios da Assistência Farmacêutica fundamenta-se na sustentabilidade e financiamento da Farmácia, principalmente no SUS, perpassando principalmente pela infraestrutura e recursos humanos”, comenta.

O conselheiro Federal de Farmácia pelo estado de Pernambuco, José de Arimatea Rocha Filho, reconhece o benefício à população caruaruense. “Este modelo de serviço é de grande serventia para gerenciar melhor o fluxo nas farmácias do município e garantir a segurança dos usuários do SUS. Sabemos que em vários outros estados do país a entrega de medicamentos em casa ou no bairro já é realidade há bastante tempo. É com alegria que observo o farmacêutico inserido a frente do aperfeiçoamento dos serviços essenciais à saúde do povo pernambucano”, pondera.

Para a execução do trabalho exitoso, além da equipe farmacêutica o serviço conta com a participação de servidores de diversos setores da Secretaria Municipal de Saúde. O cuidado de proteção durante o contato com o paciente foi mantido com rigor, seguindo as recomendações sanitárias. “Diante da implantação e avanço do programa é importante o reconhecimento e busca pela evolução, pautada na capacitação contínua de todos os envolvidos no atendimento, enfatizando a comunicação, humanização e resolutividade das ações, com o fortalecimento do papel social da Farmácia como serviço de saúde”, conclui Jean Batista de Sá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui